As canções #1

Fui embalado num estado de excitação delirante e lindo, desde o primeiro momento em que soube do mote do novo filme do Eduardo Coutinho, “As canções”. O mais bonito foi ter entendido, de antemão, que eu poderia criar toda a expectativa da vida, que eu poderia imaginar o filme mais lindo já feito na história da humanidade, que o filme ainda assim seria melhor do que o implícito nestas palavras vãs.

E na primeira cena do fime, tive certeza disso. Quantas vezes na vida, nossas experiências superam as expectativas germinadas em tanto carinho, emoção e zelo?

Desde então, em diversos momentos me pego pensando em músicas das minha vida. Músicas de mudança, músicas de fim, músicas de início. Músicas de infância. Música de aprender as nuances do amor, sem amar. Música de criar expectativa para quando o amor chegar. Música para escutar e admirar violeiro. Músicas de rir. Música para viajar por um Brasil outro, de relações, de sentimentos profundos, de dor e tragédia.

Ao escutar “casa de caboclo”, achando-a sem querer neste blog, absurdamente genial, veio uma tormenta de lembranças e sentimentos.

Os termos rurais, o linguajar simples do “vancê tá vendo, essa casinha simplisinha”, que “véve no abandono”. A sensibilidade pura do amor, que em três linhas diz tudo. “Quando Gazela viu Siá Rita, tão bonita, pôs a mão no coração… Ela pegou não disse nada, deu risada, pondo os óinho no chão”. Não seria exagero dizer que, essa mulher, que não diz nada, dá risada e põe os óinho no chão, foi A mulher que busquei em todas essas outras imaginárias que transitam por aí. E ainda o triste fim do amor, culminando no pessimismo, na solidão própria ao romantismo que tanto me embriagou nos anos primeiros, os anos solitários que vivi na imaginação de um mundo.

Foi ali, nas rodas de viola, nos olhares, no canto, nas músicas antigas. Foi na companhia dos velhos. Foi ali que fiz meu mundo torto. Não indicaria esse caminho para os moços, tenha paciência, vá errar mais e imaginar menos. Cada coisa ao seu tempo, calma, calma…

.

.

.

Calma…

Anúncios
Published in: on 29/10/2011 at 09:51  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://obarseular.wordpress.com/2011/10/29/as-cancoes-1/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: