as canções #2

Acontece em qualquer lugar, muitas e muitas vezes.

Lembro-me, por exemplo, sentado sozinho num pub londrino ser completamente transportado para o calor do Rio ao ouvir aquelas coisas cariocas e tristes que o Moacyr Luz faz.

Quando começa a canção acima, nos primeiros acordes, no balançar do chocalho, vou logo parar em outro lugar. Outra casa, na qual durante um mês me vi sobre um chão. Casa que vivi na companhia amiga de mulheres sensíveis, bravas e fortes (como lhes convém). Essas meninas que encaram de forma leve as dores da vida, os vazios amorosos, as dificuldades financeiras. Me vejo sempre num quarto barulhento de botafogo com “carta de poeta”. Re-vivo as sensações estranhas que certa menina produzia em mim, ali, naquele momento. Quando nada sabia do quê viríamos a ser. Quando não tinha certeza, se ela que me dizia doce que viria me visitar, se viria mesmo. Veio…

É uma viagem, sem metáfora alguma. É só uma viagem para dentro da gente, de nossos sentimentos.

E viagem é aquela coisa, né?

Tem gente que gosta e tem gente que não.

Anúncios
Published in: on 05/11/2011 at 20:12  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://obarseular.wordpress.com/2011/11/05/as-cancoes-2/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: