Diário andarilho de campo #7 – Gentileza rural

Há cerca de uma semana, durante o feriado de 7 de setembro, seguia para o distrito de Tabuleiro decidido a conhecer a famosa cachoeira, aqui em Conceiçao do Mato Dentro. Num dado momento pedi informação a dois sujeitos parados na beira da estrada, de terra, por onde devia seguir. Depois de devidamente informado acelerei o carro e segui o caminho indicado. A Rita então me disse que eu havia acelerado muito, levantando poeira em cima dos sujeitos e de seus burrinhos de carga. Apoderou-se de mim uma pequena, porém incisiva vergonha ético-política. Tanto estudo, tanta preocupação com o outro para agir kinem um turista paulistano, ora bolas?

Tratei de não esquecer a lição e prestar mais atenção nessas coisas, pequenas e importantes.

Dias atrás seguia a pé em diração a Itapanhoacanga, distrito de Alvorada de Minas. Saltei do ônibus na MG10 e deveria caminhar por 3 km. Logo no início da caminhada vinha em minha direção um caminhão pequeno. Parei na beira da estrada e me preparei para comer poeira, mas a uns 2o metros de mim o caminhão diminuiu muito a marcha e passou lentamente ao meu lado, levantando quase nenhuma poeira. O caminhão passou, eu cumprimentei o motorista que me devolveu o cumprimento e, displicentemente, foi embora, sem nem perceber que havia me ensinado como se deve proceder.

Anúncios
Published in: on 14/09/2012 at 13:48  Comments (4)  

The URI to TrackBack this entry is: https://obarseular.wordpress.com/2012/09/14/diario-andarilho-de-campo-7-gentileza-rural/trackback/

RSS feed for comments on this post.

4 ComentáriosDeixe um comentário

  1. nossa pros, que lindeza! gentileza pura! aprendendo todo dia 🙂

  2. ei Jula, brigado!! bejo grande.

  3. Tanto estudo pra julgar com tanto preconceito o turista paulistano! =D

  4. Preconceito, para Agnes Heller, é aquele juízo provisório que se mantém firme, mesmo que tal juízo não encontre respaldo nos dados da realidade. Por exemplo, as mulheres são intelectualmente inferiores aos homens, isso é um preconceito pois o julgamento é contestado a toda hora, e no entanto muitos pensam dessa forma. Como já deve ter ficado claro, o que falo dos turistas paulistanos não é preconceito pois nenhuma experiencia sensível contraria o fato deles serems arrogantes, presunçosos e só pensarem no próprio nariz.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: